90% dos mortos por febre amarela são homens com idade média de 44 anos – Notícias

90% dos mortos por febre amarela são homens com idade média de 44 anos – Notícias
4.5 (89.39%) 279 votes


Balanço do Governo de Minas mostra que subiu para 83 o número de óbitos no estado

O Governo de Minas Gerais divulgou, na tarde desta terça-feira (21), que a maior parte das vítimas fatais de febre amarela são homens com idade média de 44,9 anos. O número de mortes causadas pela doença registradas no estado, no ano de 2017,subiu de 78 para 83 de acordo com o balanço publicado pela Ses (Secretaria de Estado de Saúde).

O boletim anterior, divulgado na última sexta-feira (17), indicava que além dos 78 óbitos, a doença já havia sido confirmada em 220 pessoas em Minas. Até o momento, de acordo com a Ses, esse número subiu para 234. O total de notificações de casos suspeitos chegou a 1.027, ou seja, quase 79,8 % do total de registros de todo o Brasil, que é 1.286.

Saiba quem deve se vacinar

Embora a cada nova estatística publicada, aumente o número de vítimas fatais e de pacientes infectados, de acordo com Ses, o número de notificações diárias de novos casos apresentou queda. Segundo a pasta, a maior parte das contaminações aconteceu entre os dias 8 e 21 de janeiro. Até o momento, foram confirmados casos em 44 cidades mineiras, sendo a maioria delas na região leste.

Perfil das vítimas

O Governo de Minas informou que 90,3% dos pacientes que morreram são homens com idade média de 44,9 anos. Em relação aos doentes que foram diagnosticados com febre amarela, que são 234, 58% não foram vacinados nos últimos 10 anos e nem são imunizados. Outros 34 % não sabem se estão imunes e os 8% restantes disseram estar vacinados. Mas de acordo com a Ses, aqueles que alegaram estar vacinados não estavam realmente imunizados. Alguns deles tomaram apenas uma dose da vacina há mais de 10 anos, outros se vacinaram após o aparecimento dos sintomas e tiveram a febre amarela comprovada pelo vírus selvagem e ainda há casos em que os pacientes informaram que receberam a medicação, mas não comprovaram com o cartão.

Combate

Nesta quarta-feira (20), o Governo Federal reconheceu situação de emergência em 63 municípios que fazem parte das regionais de saúde das cidades Coronel Fabriciano, Governador Valadares, Manhumirim e Teófilo Otoni. Com o reconhecimento feito por meio da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, as cidades poderão solicitar apoio emergencial da União para conter o surto da doença.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais informou que até esta terça-feira, foram distribuídas 5.765.400 doses da vacina contra febre amarela nas áreas selecionadas com estratégia de intensificação vacinal e rotina de vacinação. No estado, já foram aplicadas 3.273.975 doses, sendo 1.481.092 doses nos municípios com surto.

Acompanhe a cobertura do surto de febre amarela no Brasil com o R7

Além da intensificação da aplicação do medicamento, foi feita a contratação de leitos extras em hospitais, disponibilização de recursos para a criação de novos leitos, disponibilização de novas ambulâncias, reforço no transporte aeromédico e ampliação da disponibilidade de exames nas regiões com casos mais críticos.

Morte de macacos

A equipe de enfrentamento de febre amarela também está acompanhado as mortes de macacos provocadas por febre amarela. Especialistas apontam que esses óbitos são indicadores de áreas às quais o poder público deve voltar atenções. Em Minas, foi confirmada a morte de primatas com a doença em 75 cidades. Em outras 63 os casos ainda estão em investigação.



Source link

Add Comment