Acidentes com equipamentos para bebês aumentam nos EUA; veja dicas de prevenção | Bem Estar

Acidentes com equipamentos para bebês aumentam nos EUA; veja dicas de prevenção | Bem Estar
4.5 (89.41%) 270 votes


Bebê conforto, berço, carrinho e andador são equipamentos mais relacionados a acidentes. Principal ocorrência é queda provocada pelos movimentos do bebê.

 Mulher empurra carrinho de bebê perto de uma bolha de sabão em Kiev, na Ucrânia: acidentes com equipamentos para bebês aumentaram nos Estados Unidos (Foto: Sergei SUPINSKY / AFP) Mulher empurra carrinho de bebê perto de uma bolha de sabão em Kiev, na Ucrânia: acidentes com equipamentos para bebês aumentaram nos Estados Unidos (Foto: Sergei SUPINSKY / AFP)

Mulher empurra carrinho de bebê perto de uma bolha de sabão em Kiev, na Ucrânia: acidentes com equipamentos para bebês aumentaram nos Estados Unidos (Foto: Sergei SUPINSKY / AFP)

Acidentes relacionados a equipamentos para bebês – como bebê conforto, carrinho, berço e andador – têm se tornado cada vez mais comuns nos Estados Unidos. Um estudo publicado esta semana na revista especializada “Pediatrics” constatou que a incidência de eventos desse tipo aumentou 23,7% de 2003 a 2011.

O produto mais envolvido nesses acidentes foi o bebê conforto, responsável por 19,5% dos ferimentos, seguido por berços e colchões (18,6%), carrinhos (16,5%) e andadores (16,2%). As quedas foram as ocorrências mais frequentes, mas também foram registradas colisões, ingestões acidentais, entre outros. A região do corpo mais lesionada por esses acidentes foi a da cabeça e pescoço, atingida em 47,1% dos casos, seguida pelo rosto, machucado em 34% dos acidentes.

No Brasil, não há um levantamento semelhante, mas as quedas são o tipo de acidente que mais resulta em internações de crianças de até 14 anos no país, segundo a ONG Criança Segura.

Para Gabriela Guida de Freitas, coordenadora da organização, os dados americanos têm de ser vistos como um sinal de alerta também para o Brasil. “Está aumentando o acesso a esse tipo de produto no país. Vem junto a tendência de aumentarem os acidentes”. Ela observa que, no Brasil, o mercado informal é forte e a população ainda compra produtos não certificados pelo Inmetro, o que torna a população especialmente vulnerável.

O médico Danilo Blank, do Departamento Científico de Segurança da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), alerta que um dos principais erros que os pais cometem e que aumenta o risco de acidentes é colocar o bebê em superfícies altas sem a devida proteção, como trocadores de bebês. “Naquela fração de segundo que a mãe se vira para pegar um utensílio, o bebê pode rolar e cair”, diz.

Outro erro comum é apoiar o bebê conforto em locais como mesas, cadeiras ou camas. “Ele tem a base arredondada, como se fosse uma cestinha. Quando apoiado em uma superfície lisa, qualquer movimento do bebê pode fazer com que o equipamento caia”, diz Gabriela. Portanto, se tiver de apoiar o bebê conforto, coloque-o no chão.

 Bebê conforto não deve ser apoiado em mesas, cadeiras ou sofás, somente no chão  (Foto:  CDC/ Julia Whitney, Stephen Griffin) Bebê conforto não deve ser apoiado em mesas, cadeiras ou sofás, somente no chão  (Foto:  CDC/ Julia Whitney, Stephen Griffin)

Bebê conforto não deve ser apoiado em mesas, cadeiras ou sofás, somente no chão (Foto: CDC/ Julia Whitney, Stephen Griffin)

Já o uso do andador é desaconselhado em qualquer circunstância e é alvo de uma campanha por parte da SBP. “O andador é um utensílio muito usado no nosso meio e que não tem nenhum benefício para a criança. Pelo contrário, ele pode retardar o desenvolvimento da marcha”, diz Blank. O médico acrescenta que o equipamento é responsável por muitos acidentes, traumatismos e até mortes no país.

O primeiro passo para evitar acidentes com equipamentos para crianças é se certificar que eles tenham o selo do Inmetro. Veja outras recomendações de segurança da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e da ONG Criança Segura:

 (Foto: Arte/G1) (Foto: Arte/G1)

A pesquisa americana levou em conta os dados do Sistema Nacional de Vigilância Eletrônica de Ferimentos (NEISS), operado pela Comissão de Consumidores sobre Segurança de Produtos dos Estados Unidos (CPSC), que monitora ferimentos relacionados a produtos registrados em cerca de 100 hospitais nos Estados Unidos.

Os dados referem-se a ferimentos de crianças menores que 3 anos de 1991 a 2011. Em todo esse período, estima-se que houve 1.391.844 lesões relacionadas a equipamentos de bebês nos Estados Unidos. Entre 1991 e 2003, a incidência desses acidentes teve uma queda de 33,9%, que os pesquisadores atribuem principalmente à queda do uso de andadores. A partir de 2003, porém, a incidência voltou a aumentar, subindo 23,7% até 2011.

O estudo foi feito por pesquisadores do Nationwide Children’s Hospital, da Universidade da Pensilvânia, da Universidade Estadual de Ohio e da Aliança de Prevenção de Acidentes com Crianças de Columbus, Ohio.



Source link

Add Comment