O Melhor Exercício para Combater o Envelhecimento dos Músculos

O Melhor Exercício para Combater o Envelhecimento dos Músculos
4.5 (89.33%) 210 votes


O custo que o envelhecimento traz a um corpo estende-se até o nível celular. Mas o dano acumulado pelas células em músculos mais velhos é especialmente pior, pois eles não se regeneram facilmente e tornam-se mais fracos à medida que suas mitocôndrias, que são as responsáveis por produzir energia, diminuem em vigor e número.

Um estudo publicado este mês na Cell Metabolism, no entanto, sugere que certos tipos de exercícios podem desfazer um pouco do que os anos podem fazer a nossas mitocôndrias.

O exercício é bom para as pessoas, como todos sabem. Mas os cientistas têm surpreendentemente pouca compreensão de seus impactos celulares e como eles podem variar de acordo com a atividade e a idade do praticante.

Sendo assim, pesquisadores da Clínica Mayo, em Rochester, Minnesota, realizaram recentemente uma experiência sobre as células de 72 homens e mulheres saudáveis, mas sedentários, com idade igual ou inferior a 30 anos, ou mais velhos do que 64.

Após estabelecer as medidas básicas para a aptidão aeróbia, seus níveis de açúcar, a atividade genética e a saúde mitocondrial em suas células musculares, os voluntários foram distribuídos aleatoriamente para um determinado regime de exercícios.

  1. Alguns deles fizeram um treinamento de musculação vigoroso várias vezes por semana.
  2. Outros fizeram um treinamento intervalado breve três vezes por semana em bicicletas ergométricas (pedalando intensamente por quatro minutos, descansando por três e, em seguida, repetindo essa seqüência mais três vezes).
  3. Outros também pedalaram nas bicicletas ergométricas, mas em um ritmo moderado por 30 minutos algumas vezes por semana e praticaram musculação levemente em outros dias.
  4. Um quarto grupo, o controle, não praticou exercícios.

Após 12 semanas, os testes de laboratório foram repetidos. Em geral, todos experimentaram melhorias na aptidão e uma capacidade de regular o açúcar no sangue.

Houve algumas diferenças não surpreendentes: os ganhos na massa muscular e força foram maiores para aqueles que se exercitaram apenas com pesos, enquanto o treinamento intervalado teve a maior influência sobre a resistência.

No entanto, resultados mais inesperados foram encontrados nas células musculares biopsiadas. Entre os indivíduos mais jovens que praticaram o treinamento intervalado, os níveis de atividade tinham mudado em 274 genes, em comparação com 170 genes para aqueles que se exercitaram mais moderadamente, e 74 para os que praticaram musculação.

Entre os participantes mais velhos, quase 400 genes daqueles que praticaram o treinamento intervalado estavam trabalhando diferentemente agora, comparados com 33 para os que praticaram musculação e somente 19 para os praticantes moderados.

Acredita-se que muitos desses genes afetados, especialmente nas células dos praticantes de treinamento intervalado, influenciam a capacidade das mitocôndrias de produzir energia para as células musculares. Os indivíduos que fizeram os exercícios intervalados mostraram aumentos no número e na saúde de suas mitocôndrias – um impacto que foi particularmente destacado entre os ciclistas mais velhos.

Portanto, a impressão que fica é que o declínio na saúde celular dos músculos associados ao envelhecimento foi “corrigido” com o exercício, especialmente se ele era intenso, diz o Dr. Sreekumaran Nair, professor de medicina e endocrinologista da Clínica Mayo e autor principal do estudo.

Na verdade, as células das pessoas mais velhas responderam de alguma forma mais fortemente ao exercício intenso do que as células dos jovens – sugerindo, diz ele, que nunca é tarde demais para se beneficiar dos exercícios.

Se você for uma pessoa da terceira idade, tem o costume de praticar exercícios? Que tipo deles? Se não for, como se exercitam os seus familiares? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading…



Source link

Add Comment