Roncar Faz Mal? Causas e Melhores Tratamentos

Roncar Faz Mal? Causas e Melhores Tratamentos
Rate this post


Será que roncar faz mal mesmo ou é uma condição natural? Talvez roncar seja seu alarme interior, dizendo que algo não vai bem. Anteriormente, acreditava-se que roncar ocasionalmente não fazia mal, que não deveria ser motivo de grandes preocupações, mas com regularidade poderia interferir na qualidade do sono e do bem estar no dia seguinte – provocar irritação, fadiga e prejudicar a saúde de outras formas. Isso tudo além de causar problemas de relacionamento com o companheiro.

Estudos mais recentes acreditam que roncar faz mal, de fato. Essa condição, que interrompe a respiração enquanto dormimos, foi considerada perigosa por também estar associada à pressão arterial alta, a derrames e ataques do coração.

Há especialistas que afirmam, no entanto, que roncar, de certa forma, fortalece o coração e o cérebro, por causa das paradas constantes no suprimento de oxigênio e sangue aos órgãos. Em outras palavras, o corpo estaria mais preparado para reagir na ocorrência de problemas de pressão, derrame ou ataque no coração.

Porém, o ato de roncar pode ser confundido com a apneia do sono, um outro distúrbio, que representa risco potencial de vida.

Roncar x Apneia do Sono

O primeiro acontece quando a passagem do ar através do nariz e garganta fica obstruída durante o sono. Com isso, a língua se posiciona de forma que também interfere na passagem do ar, os tecidos ao redor vibram, e assim é produzido o conhecido som do roncar. Mais de 80% dos adultos que sofrem desse distúrbio o desconhecem, segundo a American Academy of Sleep Medicine.

Já a apneia do sono é um distúrbio sério, em que a respiração é interrompida centenas de vezes durante a noite. Roncar normalmente não interfere na qualidade do sono, diferente da apneia. Por isso, é fundamental que se saiba o que está realmente acontecendo.

Portanto, fique atento aos sintomas, se você está sofrendo de fadiga e sonolência durante o dia, isso pode ser um problema mais sério do que roncar.

Se você apresentar uma das manifestações abaixo, há a hipótese de que você não está simplesmente roncando, mas sofrendo com alguma condição mais séria como a apneia do sono. Conheça os casos pelos quais o excesso do hábito de roncar faz mal:

  1. O hábito de roncar pode ser um indicativo de doenças no coração à medida que nossa idade avança. De acordo com o jornal Sleep, “roncar é essencialmente um indicador de apneia do sono obstrutiva”, nas palavras do Dr. Thomas Rice. Então, “ a apneia do sono evita que você caia num sono profundo”.
  2. A obesidade é mais um fator que contribui para a ocorrência de derrames. Um estudo recente, realizado na China, afirma que roncar muito alto significa que suas chances são 26% maiores de ter um derrame cerebral. Quando a pessoa apresenta um roncar pesado, pode ter havido acúmulo de placas de gordura nas artérias, acreditam os pesquisadores, e pode ocorrer um derrame. Em geral, observa-se que pessoas com sono tranquilo têm menos peso do que as pessoas que roncam muito.
  3. Segundo um estudo recente, realizado na Noruega, a dor de cabeça, ao acordar, é de 3 a 4 vezes maior quando se sofre de apneia do sono. A inspiração se torna muito mais difícil pela falta de oxigênio adequado, e a expiração não elimina a quantidade ideal de gás carbônico. O resultado é a dor e latejamento, porque as veias do cérebro ficam dilatadas.
  4. Outro estudo, realizado na Universidade de Roma, revelou que existe uma ligação estreita entre a apneia do sono e a disfunção erétil. Estudos anteriores apontaram que 60% dos homens com apneia do sono também apresentavam esse tipo de problema. A causa provável deve-se à falta de oxigênio, durante os intervalos da respiração, que reduzem os níveis de óxido nítrico, responsáveis pela contração das veias e ereção.
  5. O Journal of Sexual Medicine também relaciona a apneia do sono com dificuldades no aparelho reprodutor, relatando que os homens que roncam intensamente estão duas vezes mais propensos a terem menos satisfação sexual do que aqueles que dormem em silêncio.
  6. Cerca de 50% de pessoas que roncam têm sintomas de depressão também, segundo um estudo realizado na Austrália. Os pesquisadores acreditam que roncar e ter depressão podem ser causa ou consequência um do outro. Isto é, as pessoas que roncam são depressivas, ou o ronco provoca depressão. Neste caso, a química do corpo vai se alterando durante os estágios do sono, e pode levar à apneia. De outra forma, a apneia pode levar à depressão pela falta de sono. A depressão pode ser combatida com exercícios físicos, três vezes por semana, sugere um estudo publicado no jornal Jama Psychiatry.
  7. Sua memória pode estar degenerando precocemente, segundo um estudo atual, publicado no jornal Neurology. Os cientistas afirmam que a causa é o aumento dos níveis do fluido cérebro-espinhal, o responsável pelo fluxo sanguíneo no cérebro. O estudo afirma também que esse declínio cognitivo pode ser tratado quando tratarmos o ronco.
  8. Problemas no local de trabalho também podem provocar um ronco com som alto, o que significa estresse. Segundo um estudo canadense, os padrões de sono fragmentados impedem o relaxamento do cérebro durante a noite. E quando sua mente está sobrecarregada, seu desempenho sofre.

Quais são as causas do ronco? 

– Constituição Física

Os homens possuem passagens de ar mais estreitas do que as mulheres, por isso têm mais propensão a roncar. Existem também causas hereditárias, em que a garganta é estreita, as adenóides são maiores, dentre outras manifestações físicas.

– Problemas nasais

Quando as vias aéreas estão bloqueadas, certamente elas dificultam a inspiração, ao criarem um vácuo na garganta, e isso provoca o ronco.

– Peso corporal

Os tecidos com acúmulo de gordura e com tônus muscular fracos interferem no sono, e você pode roncar por isso. Bastante peso corporal ou excesso de peso são a causa desse distúrbio.

– Idade

A partir da meia idade, a garganta começa a estreitar, e o tônus muscular diminui. O que é possível fazer para amenizar essa condição são exercícios com a garganta, mudar seu estilo de vida e mudar as posições para dormir.

– Posição ao dormir

Deitar de costas pode fazer com que a pele da garganta relaxe, e com isso, impeça a passagem do ar.

– Álcool

O consumo de álcool pode aumentar o relaxamento dos músculos.

– Fumar

O consumo de cigarros pode, também, prejudicar seu sono. Da mesma forma que o álcool, pode fazer com que a musculatura relaxe mais do que o normal.

– Remédios

Alguns tranquilizantes como Valium e Ativan.

Quais os efeitos de roncar?

– Na saúde

Os médicos recomendam oito horas de sono para que o corpo possa desempenhar bem suas funções. Se passarmos uma ou duas noites com sono interrompido pelo ronco, ou se apresentarmos fadiga no dia seguinte, podemos sobreviver com isso. Porém, se esse quadro se repete por meses ou anos, podemos dizer que roncar faz mal para nossa saúde em geral. Os principais riscos são obesidade, diabetes, pressão alta e doenças do coração, além de ansiedade e depressão, e o prejuízo do sistema imunológico.

– No corpo

A falta de sono afeta diretamente o equilíbrio hormonal, porque é durante a noite que o hormônio do crescimento fica ativo. O metabolismo como um todo e o metabolismo da glicose também ficam prejudicados, interferindo no apetite, ocasionando um desejo por alimentos.  

– No cérebro

Alternância dos estados de humor, às vezes euforia, e níveis de energia reduzidos. A sonolência durante o dia impede a concentração da pessoa, que cai no sono por alguns segundos, colocando-a em risco de acidentes. O Dr. Simon Kyle relata pesquisas feitas nessa área em que se observou problemas na memória, fala e alucinações eventuais.

Quais os melhores tratamentos?

Existem medidas que você pode tomar, como mudança de hábitos ao dormir e mudanças no estilo de vida. Você também pode fazer exercícios com a garganta. Estes são os melhores tratamentos, porque mais simples de serem realizados. Ou tratamentos médicos, porém, são mais invasivos.

Mudanças de Hábitos ao Dormir

– Eleve o travesseiro

Experimente colocar o travesseiro cerca de quatro centímetros acima da posição costumeira, para facilitar a respiração. Você também pode adquirir travesseiros desenhados exclusivamente para se parar de roncar, que lhe colocam numa posição em que os músculos ao redor do pescoço ficam relaxados.

– Durma de lado

Evite dormir de costas, porque nessa posição você estará mais propenso a roncar.

– Experimente um aparelho para parar de roncar

Estes tipos de aparelhos foram desenhados para se colocar na boca, semelhante aos utilizados pelos lutadores de boxe, auxiliando a passagem do ar. A cada dia, surgem novos desses aparelhos, mas ainda não foram completamente aprovados pela ciência.

Sabemos que não existem técnicas, aparelhos, ou tratamentos que funcionam para todas as pessoas. Por isso, deixar de roncar requer paciência e disposição para experimentar novas soluções.

– Limpe as passagens nasais

Use um descongestionante nasal, ou medicação anti-alérgica, se for o caso.

– Mantenha o quarto úmido

O ar seco pode irritar as membranas da garganta e do nariz. Você pode experimentar o uso de um umidificador de ambiente.

Mudanças no Estilo de Vida

– Perca peso

A redução dos tecidos gordurosos na garganta pode acontecer com o mínimo de peso que você perca, e pode fazer com que você pare de roncar.

– Pare de fumar

Os fumantes têm mais propensão a roncar. O cigarro irrita as membranas do nariz e garganta, que podem bloquear a passagem do ar.

– Evite sedativos e álcool

Alguns medicamentos conduzem a um sono mais profundo, que pode piorar o ronco. Essas substâncias relaxam os músculos da garganta e interferem na respiração.

– Alimentação antes de dormir

O que também pode agravar a condição de roncar são as refeições pesadas antes de ir para a cama, como por exemplo, o consumo de laticínios.

– Exercícios Físicos

Mesmo que você não tenha conseguido perder peso, os exercícios em si podem reduzir o ronco. Isso acontece porque quando você tonifica vários músculos do corpo, a garganta também se beneficia. Além dos exercícios para o corpo, você pode fazer exercícios específicos para a garganta. 

Exercícios com a Garganta para Parar de Roncar

Pesquisas comprovam que os músculos do sistema respiratório podem ser fortalecidos de formas específicas para se reduzir o ronco, através de exercícios com a garganta, a língua e com a pronúncia de certos sons vocálicos.

  1. Algumas vezes por dia, repita as vogais (a-e-i-o-u) bem alto, por 3 minutos.
  2. Coloque a ponta da língua atrás dos dentes superiores. Deslize a língua para trás, 3 minutos por dia..
  3. Aperte os lábios e segure por 30 segundos.
  4. Faça movimentos com a mandíbula, para a direita e para a esquerda, com a boca aberta. Permaneça em cada posição por 30 segundos.
  5. Contraia o músculo atrás de sua garganta, com a boca aberta. Repita o exercício por 30 segundos. Dica: se olhe no espelho, para observar o movimento da úvula, para cima e para baixo.
  6. Dentre diversos benefícios para sua saúde como um todo, cantar também pode aumentar o controle dos músculos da garganta e do palato mole. Experimente!

Tratamentos Médicos

Existem muitos avanços nessa área, e aparelhos que estão se tornando mais eficazes e confortáveis. Consulte um clínico ou um otorrinolaringologista para encontrar uma solução para o seu caso. Aqui estão algumas alternativas para parar de roncar:

– Pressão do Ar Positiva e Contínua (CPAP)

Através de uma máquina ao lado da cama, o ar fica pressurizado numa máscara, que é colocada no nariz ou no rosto, ajudando a manter a passagem de ar aberta.

– Uvulopalatoplastia assistida a Laser (LAUP)

A úvula é encurtada através do laser, também são feitos cortes pequenos no palato mole, em ambos os lados. Quando o corte cicatriza, os tecidos circundantes enrijecem, evitando as vibrações que desencadeiam o ronco.

– Implantes no Palato

São colocados pequenos implantes plásticos no palato mole, que evitam a mecânica do ronco. Também chamado de procedimento Pillar.

– Sonoplastia

Utiliza calor com níveis baixos de radiofrequência para remover os tecidos da úvula e do palato mole, que vibram durante o ronco. O procedimento dura cerca de trinta minutos, sob anestesia local.

Você já imaginava que roncar faz mal mesmo e pode significar alguns problemas no seu corpo? Você sofre com isso constantemente? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading…



Source link

Add Comment