Vacinação contra a gripe será ampliada para maiores de 50 em SP – Notícias

Vacinação contra a gripe será ampliada para maiores de 50 em SP – Notícias
Rate this post



A Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo divulgou nesta terça-feira (19) que a vacina contra a gripe, restrita a grupos prioritários, será ampliada a partir de segunda-feira (25) para adultos acima de 50 anos e crianças entre 5 a 9 anos.


Esta ampliação se dá em decorrência da baixa adesão à vacina, que atingiu somente 66,2% do públicos-alvo até o dia 13 de junho, de acordo com a secretaria. A meta é atingir 90% da população.


Até o momento, a vacina é oferecia apenas para crianças de seis meses a 5 anos, idosos acima de 60 anos, gestantes, puérperas, indígenas, profissionais de saúde, pessoas privadas de liberdade, funcionários do sistema prisional, pessoas com comorbidades, como hipertensão, diabetes e transplantados, e professores da rede pública e privada.


Leia também: Gripe pode precipitar infarto, comprova estudo


A escolha dos grupos prioritários, considerados mais propensos a complicações da gripe, segue a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). A vacina, oferecida gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), é a trivalente, que protege contra três tipos de vírus influenza: H1N1, H3N2 e influenza B.


A secretaria informou que o critério para a escolha para incluir dois novos grupos ao público-alvo foi a melhor resposta das crianças à vacinação, além de serem elas as maiores transmissoras do vírus entre as outras faixas etárias, e o maior risco de internação e de morte entre adultos entre 50 e 59. A média de idade entre os casos fatais é 52 anos.


A adesão à vacina está baixa entre gestantes (cobertura de 43,5%) e crianças com idade entre seis meses e cinco anos (cobertura de 44,8%).


Saiba mais: Gripe: vacina quadrivalente deve substituir trivalente no futuro


A maior cobertura entre os grupos prioritários é o da população indígena, com 106,9%, seguida de pessoas com 60 anos ou mais (79,6%), mulheres que estão no período de até 45 dias após o parto-puérperas (72%), profissionais de saúde (64,1%) e pessoas com doenças crônicas e outras comorbidades (57,2%).


Para receber a vacina, é necessário levar documento de identificação e, se possível, a carteira de vacinação e cartão SUS. Os profissionais de saúde e educação precisam apresentar holerite ou crachá de identificação. Portadores de doenças crônicas e outras comorbidades devem levar a receita da medicação que faz uso com data dos últimos seis meses.


Até o último dia 18, foram confirmados na cidade de São Paulo 438 casos de gripe, sendo 226 provocados pelo H1N1, 52 para influenza A, 118 para influenza A não subtipado e 42 para influenza B.


Entenda a diferença entre sintomas da gripe, dengue, febre amarela, zika e chikungunya:






Source link

Add Comment