Veja as diferenças entre os sintomas da Chikungunya e o da dengue – Notícias

Veja as diferenças entre os sintomas da Chikungunya e o da dengue – Notícias
Rate this post


Principais sinais de identificação são a febre e os locais que as dores no corpo se manifestam

Você sabe diferenciar a dengue de febre chikungunya? O epidemiologista Luciano Pamplona, professor da Faculdade de Medicina da UFC (Universidade Federal do Ceará) explica que a principal diferença entre as duas doenças estão, principalmente, na febre e na dor no corpo.

No caso da febre, os pacientes com dengue costumam apresentá-la em um período que se estende de três ou quatro dias, dificilmente chegando a 39°. Já os pacientes com Chikungunya têm um período febril de um a dois dias, com temperaturas que normalmente ultrapassam os 40°.

Aprenda a diferenciar os sintomas da dengue, chikungunya e zika

Sobre as dores, Pamplona afirma que elas atingem o paciente com dengue em todo o corpo, predominantemente nos músculos, enquanto a dor do paciente com Chikungunya é muito característica das articulações.

— Se você perguntar ele está com dor, ele vai dizer que sim, que dói tudo. Mas é onde? É no músculo ou no osso? A própria exantema (pele avermelhada) aparece em casos de dengue, Chikungunya e zika vírus, mas são em períodos diferentes.

Em bebês, os sintomas também se manifestam de forma diferenciada, conforme explica o pediatra Robério Dias Leite, presidente do Departamento Científico de Infectologia da Sociedade de Pediatria do Ceará (Socep).

— As duas apresentam sinais de exantema, mas na Chikungunya ela acontece mais no primeiro e segundo dia de sintomas, enquanto na dengue ela só atinge o bebê do terceiro para o quarto dia e poupa mais a região da face. Outro fator importante é a questão do inchaço, que acontece bastante nos casos de Chikungunya e na dengue não tem.

O especialista também chama atenção para a chamada de taxa de ataque.

— Se 10 pessoas são picadas por um mosquito infectado, três dessas pessoas vão ter sintomas. Então a taxa de ataque é de 30%. Na Chikungunya, essa taxa de ataque varia de 80% a 100%. Ou seja, se 10 pessoas são picadas, entre oito e dez vão manifestar sintomas. Também é por isso que a epidemia de Chikungunya é bem mais explosiva.

Transmissão

Na transmissão, a diferença entre a Chikungunya e a dengue é que o processo de desenvolvimento do vírus dentro do mosquito é bem mais rápido no caso da Chikungunya e o tempo que ele pode infectar uma pessoa também é maior.

As duas situações em que uma pessoa pode ser infectada são por meio do Aedes aegypti, que tem presença essencialmente urbana, e o Aedes albopictus, presente majoritariamente em áreas mais rurais.

Casos de Chikungunya aumentam 88% em um mês no País

O vírus é transmitido pela picada da fêmea de mosquitos infectados, sendo que a espécie Aedes aegypti se alimenta preferencialmente de sangue humano, e o mosquito adulto encontra‐se dentro das residências e os habitats das larvas estão mais frequentemente em depósitos artificiais (pratos de vasos de plantas, lixo acumulado, pneus, recipientes abandonados etc.).

Brasil registrou quase 50 mil casos de dengue em 2017; doença é perigo também para grávidas

Já o Aedes albopictus alimenta‐se principalmente de sangue de outros animais, embora também possa se alimentar de sangue humano. Suas larvas são encontradas mais frequentemente em habitats naturais, como o interior de bambus, buracos em árvores e cascas de frutas. Recipientes artificiais abandonados nas florestas e em plantações também podem servir de criadouros.

*Caíque Alencar, do R7



Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *