Chacina em Camocim: O que se sabe sobre 4 policiais mortos no Ceará

O inspetor Dourado, preso pela chacina, era alvo de uma sindicância na Polícia Civil
Redação BR24h.
  • Policial invade delegacia durante a madrugada e mata quatro colegas em Camocim
  • O inspetor Dourado teria pulado o muro da delegacia e atirado nos colegas em Camocim
  • O inspetor Dourado, preso pela chacina, era alvo de uma sindicância na Polícia Civil
  • O governador do Ceará, Elmano de Freitas, lamentou as mortes dos policiais civis em Camocim

O policial civil Antônio Alves Dourado, 44, foi preso em razão da chacina na Delegacia de Camocim que deixou quatro policiais mortos a tiros na madrugada deste domingo, dia 14. Os corpos foram retirados do local e levados para a Perícia Forense do município de Sobral, também no Ceará.

Os escrivães Antônio Claudio dos Santos, 46; Antônio José Rodrigues Miranda, 43; e Francisco dos Santos Pereira, 46; e o inspetor Gabriel de Souza Ferreira, 36; foram mortos dentro da Delegacia Regional de Camocim.

Segundo as investigações, o inspetor Dourado teria pulado o muro da delegacia e atirado nos colegas – um dos policiais tentou fugir e pulou do primeiro andar do prédio, quando quebrou o braço, mas em seguida foi alcançado e alvejado nas costas. Os demais dormiam quando foram atacados em Camocim.

Após o crime, o acusado gravou um vídeo na frente de casa pedindo perdão e afirmando que tinha acabado com sua família e com as famílias dos outros policiais do Ceará. Ele foi preso e autuado em flagrante neste domingo, dia 14.

Após ser preso por uma equipe da Polícia Militar, o suspeito foi conduzido para a Delegacia Regional de Sobral, onde foi autuado por homicídio qualificado contra as quatro vítimas. O inquérito policial foi enviado para a Delegacia de Assuntos Internos (DAI) da Controladoria Geral de Disciplina (CGD) dos Órgãos de Segurança Pública do Ceará.

Não se sabe a motivação do crime em Camocim. Segundo a advogada Neirilane Roque, o policial civil foi ouvido e está em “estado de choque”. Ele deve passar por audiência de custódia nesta segunda-feira, dia 15.

Camocim
Delegacia de Camocim. Foto: Portal Camocim OnLine

Sindicância

O inspetor Dourado, preso pela chacina, era alvo de uma sindicância na Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos da Segurança (CGD) que apurava a conduta em ocorrência no mês de fevereiro de 2022.

Dourado estava na Delegacia de Camocim quando houve o assassinato de Matheus Silva Cruz, 19. O jovem foi morto quando estava algemado e aguardava para ser ouvido. O caso ocorreu dentro da unidade da Polícia Civil. 

O crime aconteceu no dia 6 de fevereiro, após uma discussão entre Matheus e um policial militar de folga em uma boate em Camocim. Os dois se encontraram na delegacia e o policial atirou e matou Matheus.

Ao todo, 11 policiais foram investigados por suspeita de omissão, negligência e prevaricação no caso na Delegacia de Camocim.

Repercussão

O governador do Ceará, Elmano de Freitas (PT), lamentou as mortes dos policiais civis em Camocim. “Estou absolutamente consternado diante do trágico episódio ocorrido na Delegacia de Camocim, quando quatro policiais civis perderam a vida após ataque de um colega, segundo registro policial. Manifesto a minha solidariedade às famílias, amigos e profissionais da Segurança Pública do Estado. O Governo do Ceará dará todo o apoio necessário aos familiares das vítimas”, disse Elmano.

Prefeitura de Camocim declarou luto oficial de três dias pelas mortes dos policiais no município do Ceará.

Share This Article

Últimas Notícias

Mais Lidas

Mais Notícias